Vendas nos supermercados crescem 4% no primeiro quadrimestre

FacebookTwitterWhatsAppTelegram

As vendas nos supermercados registraram um crescimento de 4% no primeiro quadrimestre de 2021 na compara√ß√£o com o mesmo per√≠odo do ano passado. No m√™s de abril ante o mesmo m√™s de 2020, houve crescimento de 2,77%. J√° em rela√ß√£o a mar√ßo de 2021, a pesquisa aponta queda de 4,82%, devido a abril ter um dia a menos do que o m√™s anterior. Os dados s√£o do √ćndice Nacional de Consumo dos Lares Brasileiros Abras, divulgado hoje (10) pela Associa√ß√£o Brasileira de Supermercados (Abras).

De acordo com o vice-presidente Administrativo e Institucional da Abras, Marcio Milan, a alta das vendas j√° reflete a volta do aux√≠lio emergencial pago √†s fam√≠lias, e est√° em linha com as proje√ß√Ķes da associa√ß√£o. ‚ÄúNa compara√ß√£o de abril de 2021 com abril do ano passado, a evolu√ß√£o de 2,77% √© s√≥lida porque √© calculada sobre um movimento intenso das fam√≠lias que buscaram abastecer as casas diante dos primeiros reflexos da pandemia‚ÄĚ, disse.

Milan explicou que a queda das vendas no m√™s de abril est√° relacionada ao fato de uma volta gradativa √† normalidade e √† diminui√ß√£o de pessoas ainda em trabalho remoto, o que aumenta o consumo de refei√ß√Ķes fora de casa.¬†

‚ÄúOs fechamentos tempor√°rios de lojas decretados por prefeituras tamb√©m influenciaram o resultado, e levaram os supermercados a enfrentar o problema inclusive com a√ß√Ķes na Justi√ßa para garantir o funcionamento dos estabelecimentos, j√° que a alimenta√ß√£o √© direito essencial e os supermercados est√£o trabalhando para garantir o acesso dos consumidores aos produtos com respeito aos protocolos de sa√ļde e toda seguran√ßa‚ÄĚ, disse Milan.

Preços

Segundo o Abrasmercado, levantamento de preços de uma cesta composta por 35 produtos mais vendidos nos supermercados, o conjunto desses itens apresentou aumento de 0,92% em abril ante março, passando a valer R$ 643,67, contra R$ 637,82 do mês de março. 

As maiores quedas nos preços da cesta em abril foram registradas na batata (7,92%), pernil (5,96%), extrato de tomate (2,16%), arroz (2,07%) e queijo prato (1,95%).  As maiores altas foram margarina cremosa (4,99%), tomate (4,50%), biscoito cream cracker (3,92%), cebola (3,05%) e papel higiênico (2,96%).

De acordo com os dados, no acumulado do ano o tomate teve baixa de 20,88%, e o pernil baixou 8,91%. J√° as altas de janeiro a abril ficaram por conta da cebola (46,10%), do ovo (11,43%) e do a√ß√ļcar (9,66%).

De acordo com Marcio Milan, o consumidor est√° mais atento aos pre√ßos, faz pesquisa e tem buscado substituir itens das compras que estejam mais caros por alternativas de qualidade. ‚Äú√Č o caso da carne su√≠na que, at√© pela baixa de pre√ßo, tem se apresentado como alternativa aos cortes bovinos. O frango congelado que agora teve nova baixa de 0,96%, tamb√©m √© op√ß√£o‚ÄĚ, disse Milan.¬†

As estimativas da Abras s√£o que os supermercados devem crescer 4,5% ao final de 2021, entretanto esse percentual deve ser revisado no final de junho para o fechamento do ano. Entre os fatores que devem influenciar no √≠ndice, est√£o o pagamento antecipado da primeira parcela do d√©cimo terceiro de aposentados e pensionistas e o primeiro lote de restitui√ß√£o do Imposto de Renda. ‚ÄúA possibilidade da prorroga√ß√£o do aux√≠lio emergencial at√© setembro √© outro fator que ir√° influenciar os resultados‚ÄĚ, ressaltou.